Exposição criada pelos alunos do Parque Imperial mostra avanços da tecnologia

Pin It

25 de Fevereiro - Com o objetivo de entenderem melhor sobre os avanços da tecnologia, os estudantes dos sétimos anos da Emef Amador Aguiar, do Parque Imperial, mergulharam no túnel do tempo e realizaram uma interessante exposição que conta uma diversidade de materiais das décadas de 60, 70, 80 e 90. 


Trata-se do projeto “Túnel do Tempo”, da professora de ciências Raquel Santana. A exposição foi aberta na manhã de sexta-feira (dia 22), e para ser concretizada contou com a ajuda dos pais, alunos e gestores da escola. O evento está sendo realizado com o intuito de resgatar e apresentar objetos criados no passado e observar a rapidez com que avança a tecnologia, além de trazer a reflexão sobre o descarte dos produtos. 

A mostra será visitada por estudantes de todos os anos e pela comunidade. Tem objetos como secadores de cabelo antigos, máquinas de escrever, os primeiros aparelhos celulares lançados no mercado, vitrolas, vinis, rádios, toca-fitas e fitas VHS, entre outras raridades que estão despertando a curiosidade dos alunos. 

De acordo com a professora, a iniciativa tem o objetivo de conduzir os estudantes à reflexão sobre a tecnologia, seus efeitos benéficos e maléficos. “A tecnologia está muito presente em nossa rotina e principalmente na vida das crianças e adolescentes. Daí a necessidade de discutirmos as consequências como o aumento do lixo eletrônico, doenças motoras devido aos movimentos repetitivos e emocionais devido à tendência a solidão, individualismo e amizades virtuais”, explicou. 

A diretora Soraia Guedes também está entusiasmada com a inciativa. “Quando surgiu o projeto Google for Education da Secretaria de Educação, a comunidade escolar ficou empolgada com o tema tecnologia. Fiquei encantada com os textos, em que alguns alunos ressaltam o lixo eletrônico. Em seguida, foi sugerido que els criassem objetos futuristas e, novamente, me encantei com tamanha preocupação com a tecnologia e a inclusão. Esses tipos de eventos são importantes, pois a interação é necessária para que a escola se mantenha viva." 

A aluna Marcela dos Santos, do 7º A, gostou muito de participar do projeto. “Pudemos conhecer objetos usados por nossos pais e avós e acompanhar como a tecnologia avançou. Achei tudo muito interessante”, frisou.

Fonte: Secretaria de Comunicação

Últimas Notícias